terça-feira, 30 de novembro de 2021

Apaixonei por essa suculenta "Orelha de Elefante"!

Suculenta Orelha de Elefante: Dicas e Cuidados Essenciais 

A suculenta orelha de elefante é a planta que não pode faltar no seu jardim. Nativa da África do Sul, essa planta rústica e de fácil cultivo é ideal para ornamentação da área externa, já que no inverno quando cultivada em sol pleno, as margens de suas folhas ficam completamente vermelhas e se mantém assim até a primavera.

Não à toa que elas têm sido muito usadas na composição do paisagismo de diferentes casas, escritórios e espaços comerciais. Por isso, se você está em busca de uma planta diferenciada para o seu jardim a dica é apostar na suculenta orelha de elefante. Conheça de perto suas características, formas de cultivo e propagação.
1. A suculenta orelha de elefante é uma planta nativa da África. 
Planta orelha de elefante suculenta: Características e Curiosidades
A suculenta orelha de elefante cujo nome científico é Kalanchoe tetraphylla pertence à família Crassulaceae. Nativa da África do Sul, a suculenta orelha de elefante se destaca pela textura, formato e cor exuberante de suas folhas largas, arredondadas e suculentas.

Dependendo da temperatura ambiente e do nível de insolação as folhas da suculenta orelha de elefante podem apresentar tons de verde claro, azulado ou amarelo creme com bordas avermelhadas.
2. A planta orelha de elefante suculenta sempre está colorida quando bem cuidada. 
Perfeita para compor um lindo jardim com pedras, a suculenta orelha de elefante é tolerante à seca e a salinidade do litoral e deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra. Vale ainda comentar que as margens das folhas em tons avermelhados se intensificam quando a planta está sob sol pleno, principalmente durante o frio do inverno.
3. Planta orelha de elefante suculenta: suas folhas achatados que deram origem ao seu nome. 

Que tamanho fica a orelha de elefante?
A suculenta orelha de elefante pode chegar até dois metros de altura com folhas carnudas de aproximadamente um metro, portanto certifique-se que o seu jardim tenha esse espaço para que a planta possa se desenvolver de forma saudável.
4. A suculenta orelha de elefante é uma planta que se destaca pelo formato, textura e cor de suas folhas. 

Como é a flor da suculenta orelha de elefante?
A suculenta orelha de elefante flor é uma planta monocárpica, ou seja, floresce uma vez na vida e depois morre. A planta suculenta orelha de elefante chega à maturidade entre três e quatro anos – neste período surge uma haste com a suculenta orelha de elefante flor. Vale comentar, que essas suculentas quando cultivadas em viveiros podem atingir a floração com cerca de um ano de vida.
5. Suculenta orelha de elefante flor.
Assim como outros tipos de suculentas, a planta orelha de elefante também é simples de se cuidar. No entanto, é preciso estar atento a algumas dicas importantes para que a suculenta orelha de elefante possa crescer de forma saudável.
Substrato arenoso e leve

O ideal é que você utilize um solo mais arenoso, leve e não argiloso. E caso a sua suculenta orelha de elefante esteja em um vaso, escolha um que possui orifícios de drenagem para que a água não acumule no recipiente.
Fique atento às regas

As regas precisam ser espaçadas e devem ocorrer apenas quando o solo estiver bem seco. Isso porque, a planta é muito sensível ao encharcamento.
Cultive-a no local certo

Apesar da orelha de elefante resistir a temperaturas de até -5°C e sobreviverem em locais de meia sombra, seu crescimento nesses ambientes acaba sendo mais demorado e a planta acaba não se desenvolvendo bem. Por isso, recomenda-se cultivar em locais de sol pleno, de forma que a margem das suas folhas também possam ficar mais avermelhadas.
6. Aprenda como cuidar de suculenta orelha de elefante. Fonte: Détente Jardin
Cuidado com as pragas

Pulgões e cochonilhas gostam de se alimentar da suculenta orelha de elefante. Por isso, na presença deles procure utilizar um inseticida natural para removê-los.
Faça a manutenção

É fundamental realizar de tempos em tempos a manutenção na suculenta orelha de elefante. Se a planta estiver no vaso procure trocá-la de recipiente pelo menos uma vez a cada ano. Agora se a planta estiver plantada no jardim sempre que for necessário retirar folhas mortas ou mal cuidadas.
7. A suculenta orelha de elefante é uma planta que pode atingir até 60 cm de altura. 
Como fazer muda de suculenta orelha de elefante?

Afinal, como fazer muda de suculenta orelha de elefante? A suculenta orelha de elefante pode se multiplicar por estacas de folhas, por filhotes e por sementes.

A suculenta orelha de elefante pode ser propagada por meio de folhas destacadas da planta mãe. Essas folhas quando colocadas na terra formam raízes em suas extremidades e podem gerar novas mudas com o passar do tempo.

Outra forma de como fazer muda de suculenta orelha de elefante é por meio da separação de brotos laterais, que são formados a partir da base da planta mãe. Esses pequenos brotos retirados da planta mãe são replantados em outros vasos dando origem a novas plantas.
8. A suculenta orelha de elefante pode se multiplicar por estacas de folhas, por filhotes e por sementes.

A multiplicação da suculenta orelha de elefante também pode acontecer por semente, porém é um processo mais demorado e incerto, já que algumas sementes podem não germinar.
9. A suculenta orelha de elefante é uma planta com folhas grandes, planas, arredondadas e carnudas. 

E aí, o que você achou dessa matéria sobre suculenta orelha de elefante? 
(Fonte: VivaDecoreBlog - Nathalia Inson)

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

domingo, 28 de novembro de 2021

Danço

Danço em qualquer lugar,
entre mares e velas,
danço entre cabos e roldanas,
com o feijão no fogo também danço.
Para quem passa, para quem fica,
danço por pura teimosia,
danço por hábito,
para se fazer um fato,
ao contrário do que dizem a maioria minha alma não grita,
ela quieta dança,
constante, continua...
como uma folha de coqueiro ao vento,
como uma bailadora de flamenco ao se preparar para o último ato.
No compasso da respiração ofegante,
danço.

(Carolina Franco. 2007)



sábado, 27 de novembro de 2021

Bichinhos de Estimação e os enfeites natalinos!

Sempre tivemos bichos de estimação, cães e papagaios/periquitos, e eles, por incrível que pareça, resistiam às decorações natalinas. Árvores com enfeites de jujuba/chocolate, presentes de trufas e guirlandas feitas de biscoitos, e a turminha de quatro patas respeitava a decoração. Encontrei esta lista com flagrantes dos pequenos fazendo a farra natalina. Se acontecer como voce, sorria! 


 
https://www.boredpanda.com/animals-destroying-christmas/?utm_source=bemlegaus&utm_medium=referral&utm_campaign=organic

domingo, 10 de outubro de 2021

Da calma e do silêncio - Conceição Evaristo!

Quando eu morder
a palavra,
por favor,
não me apressem,
quero mascar,
rasgar entre os dentes,
a pele, os ossos, o tutano
do verbo,
para assim versejar
o âmago das coisas.
Quando meu olhar
se perder no nada,
por favor,
não me despertem,
quero reter,
no adentro da íris,
a menor sombra,
do ínfimo movimento.
Quando meus pés
abrandarem na marcha,
por favor,
não me forcem.
Caminhar para quê?
Deixem-me quedar,
deixem-me quieta,
na aparente inércia.
Nem todo viandante
anda estradas,
há mundos submersos,
que só o silêncio
da poesia penetra.



quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Sonha em ter um sofá branco? Descubra antes como cuidar dele!

Sofá branco é um poderoso recurso decorativo e hoje há várias formas de deixá-lo sempre limpo e bonito (Foto: Divulgação)

Sofá branco é um poderoso recurso decorativo e hoje há várias formas de deixá-lo sempre limpo e bonito.


Objeto de desejo. É assim que o sofá branco é visto por muita gente, já que atrai os olhares, valoriza o ambiente e ainda é uma curinga na decoração pela sua neutralidade. A peça,  principalmente se for projetada para o ambiente ou possuir um layout diferente, por si só vira um elemento decorativo. Por outro lado, o medo de não conseguir manter um móvel claro por muito tempo afasta a ideia de incluí-lo no décor. Mas saiba que existem recursos para mantê-lo sempre limpo e bonito. Confira algumas dicas.


Onde usar e não usar

Optar pela peça branca em ambientes sociais, como livings e varandas. Já em ambientes externos e próximos às áreas molhadas é melhor evitar o branco. Por exemplo, uma varanda perto de piscina, em que as pessoas possam sentar molhadas com algum produto no corpo ou ainda locais perto de churrasqueiras e áreas gourmet. 

Higienização

Uma boa dica é criar uma rotina de higienização para o sofá branco. Mesmo que você não perceba a poeira, acredite: ela está lá e acaba se acumulando no estofado caso a limpeza não seja regular e eficaz. Por isso é importante ter o hábito de aspirá-lo pelo menos semanalmente ou sempre que julgar necessário de acordo com a frequência de uso.  

SALA DE ESTAR | Mesa de centro da Finish. Trio de vasos e escultura sob a mesa da Gabinete Duilio Sartori. Sofá branco da Finish. Luminária de piso da Fork Von Diesel, da Foscarini. Almofadas com tecido Marimekko, da Almofadaria Paramento (Foto: Denilson Machado/ MCA Estúdio/Divulgação)

Nesta sala de estar, o sofá branco ganhou ainda mais destaque por conta do azul vibrante do tapete. 

Impermeabilização

Para que o relax seja completo – se jogar no sofá sem medo! –, o ideal, segundo o arquiteto, é impermeabilizá-lo assim que for comprado. Esse processo dificulta a penetração da sujeira, o que contribui para ter um sofá branco por mais tempo e sem manchas. 

Capas e mantas

O uso de capas é uma boa alternativa e a mais em conta para proteger o sofá. "Acho que fica bem charmoso", diz Gustavo. Da mesma forma, as mantas podem evitar o atrito no estofado e ainda dar um toque decorativo no ambiente. 

Crianças e pets

A impermeabilização se torna necessária quando há crianças e pets em casa. Porém, se não quiser efetuar esse processo no sofá, Gustavo lembra que hoje há uma variedade de tecidos para diversos tipos de uso, inclusive opções desenvolvidas especialmente para quem tem animais de estimação. 

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Ponte Friederich Bayer, São Paulo

Inspirada na forma de uma vitória-régia, a ponte móvel Friedrich Bayer, projetada pelo escritório Loeb Capote Arquitetura e Urbanismo, foi premiada no 59º prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), na categoria “Projeto Urbano”. 

Inaugurado em 2013, a ponte liga o bairro do Socorro à estação Santo Amaro da CPTM e do Metrô e está localizada na confluência do rio Pinheiros com o canal Guarapiranga. O Grupo Bayer é comprometido com os princípios de desenvolvimento sustentável e com o seu papel de empresa cidadã ética e socialmente responsável. E esse projeto alia exatamente esses dois valores. A ponte ajuda a reduzir a emissão de CO2 na atmosfera paulistana em 300 toneladas por ano.

A Ponte Bayer é exclusiva para pedestres e ciclistas e foi construída com recursos da Bayer, beneficiando 15 mil moradores da região, além de colaboradores da empresa. “Era um desejo do nosso público interno e uma necessidade para o bairro. A ponte é bonita e ainda causa um positivo impacto ambiental ao criar meios para que as pessoas deixem seus carros em casa, contribuindo para a mobilidade urbana”, afirma o presidente do Grupo Bayer no Brasil, Theo van der Loo. A empresa investiu R$ 5 milhões no projeto.

Coberta com vegetação, elas apoiam-se sobre tubulões de concreto. Para manter a navegabilidade do canal, o vão central é móvel: rotacionam-se as metades dessa estrutura linear central por meio de motores elétricos.











domingo, 19 de setembro de 2021