domingo, 18 de outubro de 2009

ILHA DE ITAPARICA - BAHIA / BRASIL

Na ilha de Itaparica passei a maior parte dos meus verões com minha filha até ela completar seus 15 anos. Bons e velhos tempos, quando encarar a fila do ferry-boat (na epoca não existia passagem com hora marcada) trazia felicidade e renovação pela perspectiva de passar um fim de semana na praia e em família.




História resgatada dos professores de escolas públicas da ilha de Itaparica: No ínicio do mundo, uma ave de plumas brancas partiu do centro do universo, numa viagem em busca de um paraíso para pousar. Após dias e noites voando, escolheu o litoral de uma terra imensa, onde caiu morta de cansaço. Suas asas se transformaram em praias e, no lugar onde seu coração tocou o solo, abriu-se uma enorme depressão, invadida pelas águas. De seu sangue, formaram-se as 56 ilhas da maior e mais bela reentrância do país, a Baía de Todos os Santos, ou Kirymuré-Paraguaçu, segundo os primeiros habitantes da ilha de Itaparica, os índios tupinambás.



O próprio nome Itaparica vem do tupi significa "cerca de pedras", referência aos arrecifes de corais que bordejam a ilha e reduzem a força das ondas, o que explica porque suas praias têm águas rasas, mansas e mornas.

Calmaria é o nome desse pedaçinho de terra de 246 km2 preservado de mata atlântica, restingas e manguezais. É um verdadeiro convite ao ócio.
Dista 13 km de Salvador  (menos de uma hora de travessia de lancha ou ferry boat).
Para ficar sabendo tudo sobre essa ilha afrodisíaca, acesse o blog:
http://ilhaitaparica.com/blog/


A posição estratégica e as belezas naturais transformaram a ilha em alvo de ataques dos corsários ingleses, século 16, e de invasões de holandeses, que chegaram ali para se fixar entre os anos de 1600 e 1647, quando foram definitivamente expulsos pelos portugueses. Deste episódio foi erguido um dos mais belos monumentos de Itaparica, o Forte de São Lourenço, construído sobre as ruínas da fortaleza deixada pelos holandeses. É ali que funciona até hoje a única área de desmagnetização de navios do país.

Bem próximo ao forte está o Solar do Rei, casarão construído em 1606 e que funcionou como sede da Casa do Contrato das Baleias. O Solar hospedou os imperadores D. João VI, D. Pedro I e D. Pedro II.


Vale a pena, mesmo sem ser verão ainda, desfrutar da ilha, tem bons resorts para relaxar, curtir e cantarolar aquela musica da Rita Lee: "...Nada melhor do que não fazer nada, só pra deitar e rolar com você..."

FONTE: PESQUISA NA INTERNET